quinta-feira, 1 de setembro de 2016

IMPEACHMENT DA DILMA. E AGORA?



E agora?

Áureo João de Sousa.
Teresina, 31 de agosto de 2016.


E agora, Zé?
E agora, Luís?
E agora, Raimundo?
E agora, Francisco?
E agora, João?
E agora, Manoel?

A Dilma caiu,
O Partido dos Trabalhadores perdeu,
Minha Classe perdeu,
Meu grupo, também,
E também eu.

É agora, Santo?
Agora são, Expedito?
E você, ganhou?
Seu grupo ganhou?
Sua classe ganhou?
Ou a causa é impossível?

E agora, Marias?
É, Marias!!!
Valha-me Deus,
E me valha, Marias!!!

É agora, a Jurema!!!
O de comer vai baixar de preço ou vamos comer de menos?
Valha-me Deus
E me valha Marias!!!
Eu tenho que comer todo dia!!!

E agora, Juca?
Ou agora é Jucá?
A coisa não tava boa,
Já está melhor prá você?

E agora, mulheres?
E agora, negros?
E agora, caboclos?
É agora, índios!!!
É agora ciganos!!!
Os homens condenaram a Mulher,
Mas quem paga a pena É nós,
E quem faz a resistência também!!!

E agora, Paulo?
Caro salmão !!
Caro feijão !!
Come frango inteiro?
Ou um ovo por dia?

É, Assis !!!
Agora é
Valha-me Deus
E me valha Marias!!!
Derrubaram a casa da Mulher,
As de muitos caíram.
E a sua não caiu?

E agora, Gonçalo?
A vida é dura,
A lição sempre certa,
A casa caiu, a resistência levanta!!!
A luta cura.

E agora, meu filho?
É agora, minha filha?
Nosso sangue é de negro, é de caboclo, é de índio, é de cigano,
é vermelho,
é de lutas !!!

domingo, 10 de julho de 2016

POEMA ENCANTADO

POEMA ENCANTADO

Áureo João de Sousa. Teresina, 15 de setembro de 2013.


Sonho um poema encantado,
escrito com meu corpo e o seu.
No meu peito, teu peito repousa com preguiça,
declamo meu poema em murmúrio e gemido cantado,
só para fazer você notar que entre seu braço e o outro
o encantado sou eu e o motivo é seu.
Um poema meu.
Um poema seu.
Uma declamação.
Um encanto.
Um Sonho.
Um feito.


P.S.: Eu desejo fazer poemas para você e com você.... poemas nas linguagens dos espíritos e dos corpos; poemas com palavras... poemas mudos... poemas sentidos... Eu quero fazer poemas grafitados com meu corpo no seu corpo... tocados com minha alma na sua alma...


domingo, 24 de abril de 2016

A PROFESSORES - poesia, poema e filosofia


A PROFESSORES
(dedicatória)
Áureo João de Sousa. Teresina, 23 de abril de 2016.

Tem professor que é pior do que bicho,
Bicho meRmo,
Quadrúpede,
Energúmeno,
Bicho cavalo,
Burro bravo,
Jumento,
Porco,
Mula,
Vaca louca,
Gambá,
Rato,
Um só lobo, muitos alcatéia,
Cachorro doido,
Camaleão disfarçado,
Bípede,
Urubu,
Galinha,
Ave de mau agouro,
Morcego,
Vampiro,
Rabuja, Rabugento,
Peçonhento,
Nojento,
Minhoca,
Verme,
Lombriga,
Vírus Zica,
Bactéria,
Salmonela,

Eu ainda acredito
no ser livre
e no poder criativo
do professor
e da professora;
do educador,
da educadora;
do comunicador;
da comunicadora;
assuntador,

assuntadora.

PEDRA

PEDRA
Áureo João. Teresina, 14 de março de 2016.

És professora,
és pau,
és pedra !!!
és sal,
és caminho, de pau, pedra e sal.


És cabeça de pedra,
és coração de pedra,
és caminho de pedra,
és pedra,
cabeça, coração, caminho.


És pedra sobre pedra,
és pedra no caminho,
és caminho de pedra,
és o que és,
pedra.


És pau,
és pedra,
és pó,
és poeira de pó de pedra,
és preciosa pedra.


terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

LIMITES ?

LIMITES ?

Áureo João de Sousa. Teresina, 02 de fevereiro de 2016.


Seu coração é ousado,
seu corpo é atrevido;
Seu desejo tem loucura,
seu pensamento, rebeldia.
Sua doçura quebra barreiras,
que achava que não devia.
Seus limites e os meus,
agora uma travessia,
com mãos trêmulas,
corpos inflamados,
desejos incontidos,
prazeres rebeldes,
corpos suados,
loucuras,
doçuras...
linhas cruzadas:
a minha

e a sua.

domingo, 22 de novembro de 2015

ETNICIDADE E TERRITORIALIDADE QUILOMBOLA

ETNICIDADE E TERRITORIALIDADE NA COMUNIDADE QUILOMBOLA CUSTANEIRA/TRONCO, 
MUNICÍPIO DE PAQUETÁ-PI, 
BRASIL
texto final revisado.
LINK PARA BAIXAR A OBRA COMPLETA:


Etnicidade e territorialidade na Comunidade Quilombola Custaneira/Tronco, município de Paquetá, Estado do Piauí, Brasil.
Áureo João de Sousa, 2015.


Resumo
Etnicidade e territorialidade na Comunidade Quilombola Custaneira/Tronco, município de Paquetá, Estado do Piauí, Brasil. Esta obra constituiu-se a partir do objetivo de perseguir as perguntas e as respostas possíveis a estas: Quais são as identidades que se inscrevem e se apresentam na comunidade quilombola de nossos dias, na realidade piauiense e na realidade específica da Comunidade Rural Quilombola Custaneira/Tronco, município de Paquetá – PI, no Brasil, e como essas identidades estão relacionadas com os acontecimentos fora da comunidade quilombola Custaneira/Tronco, e fora do Piauí? Como essas identidades foram construídas durante a história de vida das pessoas, das famílias e da comunidade? Quais são os acontecimentos ou as “coisas” que serviram e/ou ainda servem como alicerces ou como motivos – por afirmação, por negação, por resistência e/ou acomodação - para a construção dessas identidades e desse território? Portanto, o presente trabalho de Dissertação situa-se no campo da etnicidade e das territorialidades étnicas na atualidade e, dentro deste, os territórios dos quilombos contemporâneos, as comunidades quilombolas e suas identidades multifacetárias, a partir do gênero e da especificidade de sua territorialidade e da etnicidade que lhe toca. A construção da obra científica foi orientada por fundamentos da Etnografia e da Observação Participante, bem como sob a perspectiva da Epistemologia do Saco ou Epistemologia da Roça, esta do autor. A construção leva em consideração as histórias contadas pela população quilombola pesquisada, bem como as informações e histórias construídas do lado de fora do grupo da comunidade Custaneira/Tronco, mas que se comunicam com a construção, manutenção e reconfiguração das fronteiras étnicas da comunidade quilombola Custaneira/Tronco. Para tanto, o lugar (material e subjetivo) estratégico da construção desta Dissertação firmou nas interações etnográficas presenciais e as subjetividades do pesquisador com a Comunidade Rural Quilombola Custaneira/Tronco, no município de Paquetá - PI, onde o pesquisador fora morar a partir de 26 de maio de 2014 até abril de 2015, resultando em 165 dias de intenso convívio direto, de onde apreendeu o conteúdo do texto apresentado com esta obra acadêmica, em diálogo com as identidades e a territorialidade desta comunidade negra-quilombola. A obra apresenta elementos (materiais e simbólicos) da dimensão econômica/produtiva, do meio físico-natural, da infraestrutura, das estéticas, das religiosidades e religiões, das formas de organizações, das relações internas e externas do grupo sociocultural e outras expressões e representações consideradas importantes para os processos identitários e sua territorialidade. O trabalho está composto com textos escritos, textos fotográficos, mapas cognitivos, mapas cartográficos, coordenadas cartográficas e muitas falas de pessoas (sujeitos sociológicos) da comunidade. É uma obra objetivada para ser consultada por pessoas de comunidades quilombolas, do movimento negro, do movimento quilombola, pesquisadores da área de Educação, Antropologia, Sociologia, História e Filosofia.

Palavras-chave: Etnicidade e Territorialidade. Identidades quilombolas. Quilombos contemporâneos. Custaneira/Tronco.
x

x

Resumen
Etnicidad y territorialidad en la Comunidad Quilombola Custaneira/Tronco, municipio de Paquetá, Estado de Piauí, Brasil. Esta obra se constituye a partir del objetivo de perseguir a las preguntas y a las respuestas posibles a estas: ¿Cuáles son las identidades que se inscriben  y se presentan en la Comunidad Quilombola de nuestros días, en la realidad piauiense y en la realidad especifica de la Comunidad Rural Quilombola Custaneira/Tronco, municipio de Paquetá – PI, en Brasil, y cómo esas identidades están relacionadas con los acontecimientos fuera construidas durante la historia de vida de las personas, de las familias y de la comunidad? ¿Cuáles son los acontecimientos o las “cosas” que hubieran servido y / o aún sirven como fundamentos o cómo motivos – por afirmación, por negación, por resistencia y / o acomodación – para la construcción de esas identidades y de ese territorio? Por lo tanto, el presente trabajo de Disertación se ubica en el campo de la etnicidad y de las territorialidades étnicas en la actualidad y, dentro de este, los territorios de los quilombos contemporáneos, las comunidades quilombolas y sus identidades multifacetarias a partir del género  y de la especificidad de su territorialidad y de la etnicidad que le confiere. La construcción de la obra científica fue orientada por fundamentos de la Etnografía y de la Observación Participante, bien como bajo la perspectiva de la Epistemología del saco o Epistemología de la Roza, esta del autor. La construcción lleva en consideración las historias contadas por la población quilombola investigada, bien como las informaciones e historias construidas del lado  de fuera del grupo de la Comunidad Custaneira /Tronco, pero que se comunican con la construcción, manutención y reconfiguración de las fronteras étnicas de la Comunidad Custaneira/Tronco. Para tanto, el sitio (material y subjetivo) estratégico de la Construcción de esta Disertación se basó en las interacciones etnográficas presenciales y las subjetividades del investigador con la Comunidad Rural Quilombola Custaneira/Tronco, en el municipio de Paquetá – PI, donde el investigador fuera vivir a partir de 26 de mayo de 2014 hasta abril de 2015, resultando en 165 días de intenso convivio directo, de donde se logró el contenido del texto presentado con esta obra académica, en diálogo con las identidades y la territorialidad de esta comunidad negra-quilombola. La obra presenta elementos (materiales y simbólicos) de la dimensión económica / productiva, del medio físico – natural, de la infraestructura, de las estéticas, de las religiosidades y religiones, de las formas de organizaciones, de las relaciones internas y externas del grupo sociocultural y otras expresiones y representaciones consideradas importantes para los procesos identitários y su territorialidad. El trabajo está compuesto con textos escritos, textos fotográficos, mapas cognitivos, mapas cartográficos, coordenadas cartográficas y muchas opiniones de personas (sujetos sociológicos) de la comunidad. Es una obra objetivada para ser consultada por personas de comunidades quilombolas, del movimiento negro, del movimiento quilombola, investigadores del área de Educación, Antropología, Sociología, Historia y Filosofía.

Palabras – llave: Etnicidad y Territorialidad. Identidades quilombolas. Quilombos contemporáneos. Custaneira / Tronco.
x
x
x
.
Summary
Ethnicity and territoriality in the Quilombola Custaneira Community, in the municipality of Paqueta, in the state of Piauí, Brazil. This work consisted of the goal of pursuing the questions and possible answers to the following questions: What are the identities the make up the Quilombola Community of our days, in Piauí’sreality and the specific reality of the rural Quilombola Custaneira Community, in the municipality of Paqueta , Piauí, Brazil?  How are those identities related to the events outside the Quilombo , and outside of Piaui since these identities were built during the history of life, families and the community? What are the events or "things" that served and/or serve as foundations or as grounds - by statement, by denial, resistance and/or accommodation for the construction of these identities and that territory? Therefore, this paper's dissertation lies in the field of ethnicity and ethnic territoriality today and, thus, the territories of contemporary quilombos, quilombo communities and their multifaceted identities, from gender and specificity of its territoriality and ethnicity. The construction of the scientific work was guided by fundamentals of ethnography and participant observation as well as from the perspective of Epistemologia do Saco or Epistemologia de Roça, from this author. The construction takes into account the stories told by the quilombo population studied, as well as information and stories built outside the Quilombola Custaneira Community, but that communicate with the construction, maintenance and reconfiguration of ethnic borders of the Quilombola Custaneira Community. For that, the strategic location (material and subjective) of the construction of this dissertation solidified in ethnographic researcher presence and subjectivity with the Quilombola Custaneira Community in the municipality of Paqueta, Piauí, where the researcher had moved from May 26, 2014 until April 2015, resulting in 165 days of intense direct contact, where collected text content was presented with this scholarly work, in dialogue with the identities and territoriality this Quilombola Custaneira Community. The work presents elements (material and symbolic) of the economic/productive dimension, the physical and natural environment, infrastructure, the aesthetic, the religiosity and religions, forms of organizations, internal and external relations of the sociocultural group and other expressions and representations considered important for the identity processes and their territoriality. The work is made with written texts, photographic texts, cognitive maps, cartographic maps, cartographic coordinates and many lines of people (sociological subject) community. It is an objectified work often consulted by people of quilombo communities, the black movement, the quilombo movement, researchers in the field of Education, Anthropology, Sociology, History and Philosophy.
Key Words: Ethnicity & Territoritality.  Quilombo Identities.  Contemporary Quilombos. Custaneira/Tronco.
.
.
.
.
.

Resumé
Ethnicité et territorialité dans la Communauté Quilombola Custaneira/Tronco,  municipalité de Paquetá, l’État du Piauí, au Brésil. Ce travail a pour objectif  de poser et de répondre aux questions comme celles-ci: Quelles sont les identités qui s'inscrivent et entrent dans la communauté quilombola de nos jours, dans la réalité piauiense ? (Et dans la réalité spécifique de la Communauté Rurale Quilombola Custaneira/Tronco, de la municipalité Paquetá-PI, au Brésil). Comment ces identités sont-elles relatées avec les événements de la communauté quilombola Custaneira/Tronco, et en dehors du Piauí? Comment ces identités ont-elles été construites pendant l'histoire de la vie des habitants, des familles et de la communauté? Quelles sont les événements ou "les choses" qui lui ont servi et servent comme bases ou raisons ? – Est-ce par déclaration, par dénégation, par résistance et adaptation - pour la construction de ces identités et de ce territoire ? Cette Dissertation se situe donc dans le domaine de l’ethnicité et des territorialités ethniques actuelles et, à l'intérieur de celles-ci, les territoires des quilombos contemporains, les communautés quilombolas et leurs identités multiples, en commençant par le genre et par la spécificité de sa territorialité  et de l’ethnicité qui le touchent. La construction du travail scientifique a été guidée par les bases de l'Ethnographie et de l'Observation des participants, aussi bien sous la perspective de l'Epistemologie du Sac ou Epistemologie du village, selon l'auteur. La construction est basée sur les histoires récits relatés par la population quilombola ; ainsi que sur des recherches déjà faites sur cette population. Il y a aussi,  la contribution des informations et des histoires construites à l'extérieur du groupe de la communauté Custaneira/Tronco. Celles-ci communiquent avec la construction, le maintien et la reconfiguration des frontières ethniques de la communauté quilombola Custaneira/Tronco. Pour se faire, le lieu (le matériel et subjectif)  stratégique de la construction de cette Dissertation dans les interactions ethnographiques en est témoin ; ainsi que les subjectivités du chercheur avec la Communauté Rurale Quilombola Custaneira/Tronco, dans le municipalité de Paquetá – PI. Le chercheur y a vécu du 26 mai 2014 au avril 2015. Totalisant ainsi 165 jours de convivialité intense et directe avec cette communauté noire quilombola dans le dialogue avec ses identités et sa territoralité afin d’élaborer le contenu du texte présenté dans ce travail universitaire. Ce travail présente des éléments (matériels et symboliques) de la dimension économique et productive ; du milieu physique et naturel ; de l'infrastructure, de l'esthétique, des religiosités et des religions, des formes d'organisations, des relations internes et externes du groupe socioculturel ; d'autres expressions et des représentations qui sont importantes pour les processus identitaires et sa territorialité. Ce travail est composé des éléments suivants : des textes écrits, des textes photographiques, des cartes cognitives, des cartes cartographiques, des coordonnées cartographiques et beaucoup de paroles des individus (des sujets sociologiques) de la communauté. C’est une oeuvre faite pour être consultée par la population des communautés quilombolas, du mouvement noir, du mouvement quilombola ; ainsi que par les chercheurs des domaines d’Éducation, l’Anthropologie, la Sociologie, l’Histoire et de la Philosophie.


Mots-clés: Ethnicité et territorialité. Identités quilombolas. Quilombos contemporanéité. Custaneira/Tronco.

sábado, 30 de maio de 2015

BANCA DE DEFESA DE DISSERTAÇÃO DE ÁUREO JOÃO DE SOUSA. MESTRADO EM SOCIOLOGIA. UFPI.

ETNICIDADE E TERRITORIALIDADE NA COMUNIDADE QUILOMBOLA CUSTANEIRA/TRONCO, MUNICÍPIO DE PAQUETÁ – PI, BRASIL.


PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA – PPGS/CCHL/UFPI

Mestrando: ÁUREO JOÃO DE SOUSA

Título do trabalho:
ETNICIDADE E TERRITORIALIDADE NA COMUNIDADE QUILOMBOLA CUSTANEIRA/TRONCO, MUNICÍPIO DE PAQUETÁ – PI, BRASIL.

Data da Defesa Final: 26 de junho de 2015.

Horário da Defesa Final: início às 9:00h.

Local da defesa:
Auditório do Centro de Ciências Humanas e Letras – CCHL (Auditório Noé Mendes), da Universidade Federal do Piau – UPI, em Teresina - PI.

Banca Examinadora:
1- Prof Dr Ferdinand Cavalcante Pereira – UFPI/PPGS – Presidente da Banca;
2-Prof Dr Samuel Pires Melo – UFPI/CCHL/PPGS – membro interno do PPGS;.
3-Profa Dra Maria D’Alva Macedo Ferreira –PPGPP/CCHL/UFPI– membro externo;



                                                                     Resumo
Etnicidade e territorialidade na Comunidade Quilombola Custaneira/Tronco, município de Paquetá, Estdo do Piauí, Brasil. Esta obra constituiu-se a partir do objetivo de perseguir as perguntas e as respostas possíveis a estas: Quais são as identidades que se inscrevem e se apresentam na comunidade quilombola de nossos dias, na realidade piauiense e na realidade específica da Comunidade Rural Quilombola Custaneira/Tronco, município de Paquetá – PI, no Brasil, e como essas identidades estão relacionadas com os acontecimentos fora da comunidade quilombola Custaneira/Tronco, e fora do Piauí? Como essas identidades foram construídas durante a história de vida das pessoas, das famílias e da comunidade? Quais são os acontecimentos ou as “coisas” que serviram e/ou ainda servem como alicerces ou como motivos – por afirmação, por negação, por resistência e/ou acomodação - para a construção dessas identidades e desse território? Portanto, o presente trabalho de Dissertação situa-se no campo da etnicidade e das territorialidades étnicas na atualidade e, dentro deste, os territórios dos quilombos contemporâneos, as comunidades quilombolas e suas identidades multifacetárias, a partir do gênero e da especificidade de sua territorialidade e da etnicidade que lhe toca. A construção da obra científica foi orientada por fundamentos da Etnografia e da Observação Participante, bem como sob a perspectiva da Epistemologia do Saco ou Epistemologia da Roça, esta do autor. A construção leva em consideração as histórias contadas pela população quilombola pesquisada, bem como as informações e histórias construídas do lado de fora do grupo da comunidade Custaneira/Tronco, mas que se comunicam com a construção, manutenção e reconfiguração das fronteiras étnicas da comunidade quilombola Custaneira/Tronco. Para tanto, o lugar (material e subjetivo) estratégico da construção desta Dissertação firmou nas interações etnográficas presenciais e as subjetividades do pesquisador com a Comunidade Rural Quilombola Custaneira/Tronco, no município de Paquetá - PI, onde o pesquisador fora morar a partir de 26 de maio de 2014 até abril de 2015, resultando em 165 dias de intenso convívio direto, de onde apreendeu o conteúdo do texto apresentado com esta obra acadêmica, em diálogo com as identidades e a territorialidade desta comunidade negra-quilombola. A obra apresenta elementos (materiais e simbólicos) da dimensão econômica/produtiva, do meio físico-natural, da infraestrutura, das estéticas, das religiosidades e religiões, das formas de organizações, das relações internas e externas do grupo sociocultural e outras expressões e representações consideradas importantes para os processos identitários e sua territorialidade. O trabalho está composto com textos escritos, textos fotográficos, mapas cognitivos, mapas cartográficos, coordenadas cartográficas e muitas falas de pessoas (sujeitos sociológicos) da comunidade. É uma obra objetivada para ser consultada por pessoas de comunidades quilombolas, do movimento negro, do movimento quilombola, pesquisadores da área de Educação, Antropologia, Sociologia, História e Filosofia.


Palavras-chave: Etnicidade e Territorialidade. Identidades quilombolas na contemporaneidade. Quilombos contemporâneos. Custaneira/Tronco.